cloud

 

O conceito de Sistema Cloud está cada vez mais em voga nos dias atuais, face à globalização do mundo digital.

São três os principais modelos de serviço que compõem a arquitectura Cloud: a camada ou infraestrutura física (IaaS), a camada intermédia ou plataforma que usa funções da infraestrutura (PaaS), e uma última camada para uso aplicacional, ou seja, o software (SaaS).

A ViGIE Solutions disponibiliza versões Cloud das suas soluções de monitorização e gestão de instalações e equpamentos no modelo Software as a Service (SaaS). Este conceito aborda a forma como o software é apresentado aos utilizadores, ou seja, já não está instalado localmente nos servidores, nem necessita que adquiram uma licença específica de uso para instalação. Desta forma, é acedido online, através de uma rede e com recurso a um web browser.

Neste artigo pretendemos desmistificar alguns mitos associados ao uso de um Sistema Cloud.

1  Não há controlo sobre os dados registados

Uma das preocupações das empresas fornecedoras de soluções cloud é garantir ao utilizador o acesso permanente aos seus dados. Este tipo de soluções proporcionam ferramentas de gestão de dados seguras, tais como a criação de várias contas de utilizadores e funcionalidades que podem ser acedidas em segurança, em qualquer local e através de qualquer dispositivo com acesso à Internet (web enabled device). 

2  Os dados não estão seguros

Se pensar bem, os dados que guarda no seu servidor ou data center podem não estar seguros. Num sistema Cloud que seja fornecido por um parceiro certificado e de confiança, os seus dados estarão seguros, pois serão mantidos em data centers com elevado grau de segurança e fiabilidade.

A Cloud ViGIE cumpre com as mais exigentes normas europeias de segurança e de legislação. Assim, os nossos servidores localizam-se em data centers de alta segurança, com redundância de backup e armazenamento de dados, tripla redundância de fontes de energia, ligações de dados de alta disponibilidade e com tripla redundância (landline, mobile and satellite), que dispõe de procedimentos de emergência (exemplos: desastres naturais) e protocolos de recuperação de dados.

 

Para ler o artigo completo, clique aqui.

últimos posts